Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Audi’

Premat se acidenta em Le Mans

Premat se acidenta em Le Mans

A etapa de Nurburgring da DTM foi bem chata (alias o campeonato deste ano vem deixando a desejar na pista apesar de estar emocionante na tabela). De interessante só observar o massacre imposto pela Audi sobre a Mercedes. A Audi manteve os 4 primeiros lugares desde o fim da primeira volta (com Martin Tomczyk, Timo Scheider, Mattias Ekström e Markus Winkelhock enfileirados e sem se ameaçarem) e a Mercedes pouco pode fazer a parte assistir Gary Paffett – melhor piloto da montadora na temporada – conseguir salvar pelo menos um pontinho depois de largar em 16º.

O momento mais “emocionante” da prova foi ver Alexandre Prémat tirar seu companheiro Oliver Jarvis já na segunda volta. Foi a segunda prova seguida que Prémat tirou outro piloto da Audi da prova e até a direção da TV aproveitou para flagrar o chefe da Audi irritadíssimo. O momento me fez pensar na carreira de Premat. Acompanho-o desde 2004 e neste meio tempo nunca o vi correr sem ser em equipes de ponta: foi fiel segundo piloto de Jamie Green na F3 Europeia pela Art e depois novamente pela equipe francesa serviu a Nico Rosberg e Lewis Hamilton em seus títulos na GP2. Depois disso foi correr de protótipos e DTM pela Audi.

Premat nunca mostrou grande brilho em nenhum destes campeonatos apesar do equipamento de primeiro. Seu melhor momento foi o titulo da primeira temporada A1GP quando se revezou no comando do carro francês com Nicolas Lapierre. É preciso dizer que aquele carro francês andava num ritmo a parte da competição (Premat venceu 7 provas, Lapierre 6) e que apesar disso Premat estava na pista numa prova vencida pelo inesquecível Alex Yoong.

Em suma, apesar de que as boas equipes garantam que no papel os resultados de Premat pareçam promissores ele nunca impressionou ninguém que o acompanhou, mas lá está ele bem empregado na Audi. Quem se recorda dos vídeos que postei m Le Mans vai lembrar de Premat começar a série de problemas da Audi ao se acidentar na volta 2 de uma prova de 24 horas onde em tese tinha carro para brigar pela vitória.

Resumo a carreira do Alexandre Premat menos para atacá-lo e mais porque vendo-o colher Jarvis de maneira idiota foi difícil não pensar em como ele resume bem um certo tipo de piloto enganador que sempre marcou presença no automobilismo. Penso aqui naqueles pilotos cuja carreira parece mais conduzida pela habilidade nos bastidores do que na pista. David Couthard talvez seja o exemplo mais bem acabado deste fenômeno na F1 moderna. Quem viu sem conterrâneo escocês Allan McNish correr não tem dúvidas sobre quem mais contribuiu para o automobilismo no periodo, mas Coulthard é quem teve a carreira de algum sucesso na Formula 1.

Automobilismo nunca foi um esporte individual, mas em certos momentos desejo que os responsáveis por contratar pilotos tenham mais discernimento.

Anúncios

Read Full Post »

Norisring em blocos

Jamie Green sobrou em Norisring

Jamie Green sobrou em Norisring

Norisring foi a primeira etapa da DTM que consegui assistir este ano (9 da manhã é um horário ingrato para este blogueiro notívago) como quase sempre valeu muito a pena com várias alternativas e disputas. Mas me peguei pensando no formato da prova e em como o automobilismo contemporâneo é hoje marcado por formas artificiais de esquentar o drama.

Esnobes criticam a Nascar, mas os europeus são tão culpados quanto. Hoje a DTM conta com uma longa janela de pit e duas paradas obrigatórias. Norisring contava com 80 voltas e a janela de pits ia das voltas 22 a 60. O resultado é que em termos práticos vimos 3 baterias totalmente distintas: um aquecimento nas primeiras vinte voltas, um jogo de estratégia e corrida de live timing durante a janela dos pits e um pega muito disputado nas voltas finais. O estranho é que pouco se percebe de conexão entre estas provas com a categoria simplesmente saltando de um modo ao outro através da drama artificial.

Norisring foi um prazer de ver só nunca foi uma prova coesa. Curiosamente, o vencedor e grande nome da etapa, Jamie Green, dominou tanto o jogo dos pits como a disputa na pista. Quando a segunda rodada de paradas começou Green era o 5º colocado, ao fim da janela subira para 3º e depois na pista superou Bruno Spengler e Timo Scheider e finalmente assumiu a liderança na penúltima volta. Em sumo, Green sobrou domingo independente das condições da prova. Faz parte da safra de pilotos britânicos que a dupla McLaren-Mercedes fez questão de afastar da F1. Massacrou a concorrência na F3 Europeia em 2004 (o grid incluía Rosberg, Hamilton e Kubica), com 7 vitorias e mais de 50 pontos de vantagem sobre o vice Alexander Premat, mas foi levado pela Mercedes para os carros de turismo enquanto Premat, por exemplo, foi ser medíocre na GP2 (e hoje na própria DTM onde é o único piloto que abandonou em todas as etapas).

Voltando ao campeonato a Mercedes faz 2×1 sobre a Audi, mas esta segue na liderança do campeonato com o atual campeão Timo Scheider. Em outras noticias Paul Di Resta fez uma boa prova de recuperação após largar muito atrás e foi 7º e Ralf Schumacher obteve seu melhor resultado na categoria chegando em 6º.

Resultado de Norisring:
1) Jamie Green (Mercedes)
2) Bruno Spengler (Mercedes)
3) Mattias Ekstron (Audi)
4) Timo Scheider (Audi)
5) Gary Paffett (Mercedes)
6) Ralf Schumacher (Mercedes)
7) Paul Di Resta (Mercedes)
8) Tom Kristensen (Audi)

Campeonato
1) Timo Scheider (Audi) 17
2) Bruno Spengler (Mercedes) 16
3) Gary Paffet (Mercedes), Jamie Green (Mercedes) e Mattias Ekstron (Audi) 14
6) Tom Kristensen (Audi) e Paul Di Resta (Mercedes) 11
8) Oliver Jarvis (Audi) 6

Read Full Post »

Para quem quer ter um gostinho do que foi as 24 Horas de Le Mans deste ano segue uma série de vídeos:

(mais…)

Read Full Post »

Jaime Melo Jr. conquistou o bicampeonato da LMGT2

Jaime Melo Jr. conquistou o bicampeonato da LMGT2

A grande pergunta que sobra após as 24 Horas de Le Mans de 2009 é a Peugeot finalmente venceu a prova ou foi a Audi quem de forma presunçosa acabou entregando a vitória para os franceses? É impressionante como houve uma inversão de valores em Le Mans este ano: a Peugeot normalmente é de quem se espera um excesso de confiança exibido pelos alemães este ano. Quando o novo R15 estreou em Sebring no começo do ano parecia um sucessor a altura do fabuloso R10. Rápido e resistente com excelente ritmo de prova venceu novamente o 908 com Allan McNish completando as 12 horas com uma vantagem razoável para Sebastien Bourdais. De lá até este fim de semana a ACO baixou algumas medidas para equilibrar a disputa entre os carros diesel e os a gasolina, como alguns leitores do blog talvez se lembrem observei que a Peugeot nunca se impôs sobre a competição nos 1000km de Spa, os franceses aproveitaram a oportunidade para colher dados valiosos sobre o comportamento do 908 sob as novas regras enquanto a Audi seguia sua política de contenção de custos e aguardava por Le Mans. O resultado estava na pista nunca antes a Peugeot dominou com tanta facilidade a prova, é de se esperar que 908 fosse mais rápido em distancias curtas, mas o que se viu foi um domínio total nos stints longos sem a desvantagem no consumo de gasolina que em outras ocasiões prejudicou os franceses. Enquanto isso o pouco rodado R15 enfrentou muitos problemas ao longo do dia (especialmente de superaquecimento , mas mesmo quando o carro funcionava a superioridade dos franceses era marcante após Bourdais sair dos boxes – após seu carro perder quase duas voltas parado – ele tirou um minuto inteiro para Tom Kristensen em meia hora com direito a pelo menos três voltas onde era 10 segundos mais rápido.

Falando no francês, uma das decisões mais acertadas da Peugeot foi se livrar dos dois piores pilotos da equipe do ano passado (Ricardo Zonta e Jacques Villeneuve) e substituí-los por Bourdais e David Brabham. Os trios da equipe foram bem mais consistentes este ano (apesar de que num mundo perfeito eles se livrariam do Christian Klien também). Os momentos mais divertidos da prova foram cortesia das Peugeots que tiveram problemas voando baixo para compensar especialmente com Bourdais e Pedro Lamy que tiveram stints muito agressivos. Enquanto isso o trio Alexander Wurz, Marc Gene e David Brabham foram de consistência exemplar e conduziram o carro de forma quase tediosa até a bandeirada.

Quem merece muitos elogios foi a Aston Martin que na sua estréia na LPM1 foi o melhor dos protótipos a gasolina com o trio Tomas Enge/Stefan Mucke/Jan Charouz. O outro protótipo da equipe a completar a prova (que incluía Jos Verstappen e Athony Davidson ao volante) teve vários problemas e chegou em 13º. mas foi tão consistente quanto ao longo da prova. A Oreca chegou em quinto com Olivier Panis, Nicolas Lapierre e Soheil Ayari. O outro carro de Bruno Senna teve uma série de problemas até a equipe resolver mandá-lo para garagem para conservar peças para o carro que vinha bem. Bruno que por sinal teve um acidente evitável. Alias, como curiosidade durante duas janelas da prova tivemos pela primeira vez juntos (e na mesma categoria) Bruno Senna e Nicolas Prost, o filho do tetracampeão francês teve menos problemas ao longo da prova e completou em 14º.

Na LMP2 como um dos Porsche Spyders abandonou, o trio Casper Elgaard/Emannuel Collard/Kristian Poulsen passeou com 14(!) voltas de vantagem sobre a Lola-Judd de Jonny Kane/Benjamin Leuenberger/Xavier Pompidou. Maiores méritos ainda para o trio vencedor da LMGT1 Johnny O’Connell, Antonio Garcia e Jan Magnussen. Explica-se após seu primeiro stint Magnussen sofreu uma infecção estomacal e O’Connell e Garcia tocaram o resto da prova sozinhos. Parabéns também para Charles Zwolsman Jr e Andre Lotterer que conduziram sozinhos seu Audi R10 para o 7º. lugar durante a prova toda após Narain Kartikheyan sentir dores. Para se ter idéia de como isto é difícil quando o terceiro Aston Martin sofreu um acidente na parte final da prova um possesso David Richards culpou a ACO por suspender um dos pilotos da equipe na véspera e impedi-lo de convocar um reserva.

Por fim, Jaime Melo Jr conseguiu o bicampeonato da LMGT2 com sua Ferrari 430 (acompanhado de Mika Salo e Pierre Kaffer) dominando por completo a categoria. Entre suas duas vitórias em Le Mans e título da ALMS (2007) e FIA GT (2006), trata-se junto de Helio Castroneves do piloto brasileiro mais bem sucedido da última década, não que a mídia note.

PS: Falando em mídia, hilariante o Flavio Gomes colocando a culpa da derrota da Audi nos seus “pilotos velhos”. Sério, já que ganha comentando automobilismo, o Flávio podia fazer de conta que entende algo do assunto.

Classificação:
1. #9 Marc Gené/David Brabham/Alexander Wurz Peugeot Sport Total Peugeot 908 HDi FAP LMP1 – 382 voltas em 24h01min45seg442
2. #8 Franck Montagny/Stéphane Sarrazin/Sébastien Bourdais Team Peugeot Total Peugeot 908 HDi FAP LMP1 – a 1 volta
3. #1 Allan McNish/Rinaldo Capello/Tom Kristensen Audi Sport Team Joest Audi R15 TDi LMP1 – a 6 voltas
4. #007 Tomas Enge/Jan Charouz/Stefan Mücke AMR Eastern Europe Aston Martin Lola B09/60 LMP1 – a 9 voltas
5. #11 Olivier Panis/Nicolas Lapierre/Soheil Ayari Team Oreca Matmut AIM Oreca 01 AIM LMP1 – a 12 voltas
6. #7 Nicolas Minassian/Pedro Lamy/Christian Klien Team Peugeot Total Peugeot 908 HDi FAP LMP1 – a 13 voltas
7. #14 Charles Zwolsman Jr./Andre Lotterer/Narain Kartikheyan Kolles Audi R10 TDi LMP1 – a 13 voltas
8. #16 Bruce Jouanny/Christophe Tinseau/João Barbosa Pescarolo Sport Pescarolo Judd LMP1 – a 14 voltas
9. #15 Christijan Albers/Giorgio Mondini/Christian Bakkerud Kolles Audi R10 TDi LMP1 – a 22 voltas
10. #31 Casper Elgaard/Emmanuel Collard/Kristian Poulsen Team Essex
Porsche RS Spyder LMP2 – a 25 voltas
11. #12 Pierre Ragues/Franck Mailleux/Didier Andre Signature Plus Courage Oreca LC70 LMP1 – a 38 voltas
12. #33 Jonny Kane/Benjamin Leuenberger/Xavier Pompidou Speedy Racing Sebah Lola B08/80 Judd LMP2 – a 39 voltas
13. #008 Anthony Davidson/Darren Turner/Jos Verstappen Aston Martin Racing Aston Martin Lola B09/60 LMP1 – a 40 voltas
14. #13 Andrea Bellicchi/Nicolas Prost/Neel Jani Speedy Racing Sebah Lola B08/60 Aston Martin LMP1 – a 40 voltas
15. #63 Johnny O’Connell/Antonio Garcia/Jan Magnussen Corvette Racing Corvette C6-R LMGT1 – a 40 voltas
16. #73 Yann Clairay/Julien Jousse/Xavier Maassen Alphand Aventures Corvette C6-R LMGT1 – a 46 voltas
17. #3 Romain Dumas/Timo Bernhard/Alexandre Prémat Audi Sport Team Joest Audi R10 TDi LMP1 – a 49 voltas
18. #82 Jaime Melo Jr./Mika Salo/Pierre Kaffer Risi Competizione Ferrari F430 LMGT2 – a 53 voltas
19. #97 Matteo Malucelli/Fabio Babini/Paolo Ruberti BMS Scuderia Italia Ferrari F430 LMGT2 – a 55 voltas
20. #24 Richard Hein/Jacques Nicolet/Jean-François Yvon OAK Racing Pescarolo Mazda LMP2 – a 57 voltas

Read Full Post »

Sarrazin garante a terceira pole consecutiva em Le Mans

Sarrazin garante a terceira pole consecutiva em Le Mans

Nos últimos minutos do treino oficial a Peugeot manteve a tradição recente e garantiu a pole em Le Mans com Stephane Sarrazin. A Audi conquistou o segundo lugar com o sempre brilhante Alan McNish. Os carros franceses dominaram o resto do Top 5 confirmando que o Peugeot da Pescarolo vai dar trabalho para os alemães. A Aston Martin foi o melhor dos protótipos não-diesel no oitavo lugar (para azar de David Richards, porem o #007 sofreu um acidente sério no final do treino e há dúvidas sobre suas condições para a prova). O Pescarolo de construção próprio não repetiu o ótimo desempenho de ontem e larga em 12º. A Oreca de Bruno Senna ficou em 15º.

Na LMP2 a Porsche deu as cartas num duelo muito apertado entre o carro de Casper Elgaard/Kristian Poulsen/Emmanuel Collard ficou 0.082s a frente do Porsche japonês. LMGT1 promete domínio total do Corvette com o trio Jan Magnussen/Johnny O’Connell/Antonio Garcia.

Muito mais disputada é a LMGT2 com os Porsches novamente na frente. Joerg Bergmeister/Darren Law/Seth Neiman foram 0.03s mais rápidos que os favoritos Marc Lieb/Wolf Henzler/Richard Lietz. Jaime Melo Jr, atual vencedor da prova, ficou com terceiro tempo – 0.8s atrás – sendo o melhor entre as muitas Ferraris no grid.

1 Stephane Sarrazin/Sebastien Bourdais/Franck Montagny Team Peugeot Total 3’22.888
2 Alan McNish/Tom Kristensen/Dindo Capello Audi Sport Team Joest 3’23.650
3 Nicolas Minassian/Pedro Lamy/Christian Klien Team Peugeot Total 3’24.860
4 Jean Cristophe Boullion/Simon Pagenaud/Bénoit Tréluyer Pescarolo Sport 3’25.062
5 David Brabham/Marc Gené/Alexander Wurz Peugeot Sport Total 3’25.252
6 Alexander Premat/Romain Dumas/Timo Berhhard Audi Sport North America 3’25.780
7 Marco Werner/Mike Rockenfeller/Lucas Luhr Audi Sport Team Joest 3’27.106
8 Tomas Enge/Stefan Mucke/Jan Charouz AMR Eastern Europe 3’27.180
9 Jos Verstappen/Anthony Davidson/Darren Turner Aston Martin Racing 3’27.704
10 Neel Jani/Andrea Bellicchi/Nicolas Prost Speedy Racing Sebah 3’28.134

Read Full Post »

A Peugeot tenta mais uma vez desbancar a favorita Audi

A Peugeot tenta mais uma vez desbancar a favorita Audi

A prova mais importante do automobilismo mundial começou. As primeiras seis horas de treino livres ocorreram hoje com o drama extra de um protesto da Peugeot contra a Audi. Os dez primeiros:
1 Tom Kristensen/Dindo Capello/Allan McNish Audi Sport Team Joest, 3’30.708
2 Alexander Premat/Romain Dumas/Timo Berhhard Audi North America 3’30.762
3 David Brabham/Marc Gené/Alexander Wurz Peugeot Total 3’31.102
4 Jean Cristophe Boullion/Simon Pagenaud/Bénoit Tréluyer Pescarolo Sport 3’33.028
5 Sebastien Bourdais/Stephane Sarrazin/Franck Montagny Peugeot Total 3’33.426
6 Marco Werner/Mike Rockenfeller/Lucas Luhr Audi Sport Team Joest 3’34.716
7 João Barbosa/Bruce Jouanny/Christophe Tinseau Pescarolo Sport 3’35.868
8 Jos Verstappen/Anthony Davidson/Darren Turner AMR Eastern Europe 3’35.996
9 Tomas Enge/Stefan Mucke/Jan Charouz Aston Martin Racing 3’36.732
10 Nicolas Minassian/Pedro Lamy/Christian Klien Peugeot Total 3’37.980

A grande surpresa do dia foi o desempenho do Pescarolo de Barbosa/Jouanny/Tinseau, o melhor dos carros não-diesel, a frente da melhor Aston Martin de Verstappen/Davidson/Turner. A Oreca de Bruno Senna/Stephane Ortelli/Tiago Monteiro foi 16º., cerca de 16 segundos mais lenta que o melhor tempo.

Para quem quer uma boa introdução recomendo os 4 posts do Rodrigo Mattar – que faz a melhor cobertura de Endurance do Brasil – onde ele faz uma geral equipe por equipe das 4 categorias: LMP1, LMP2, LMGT1, LMGT2

Estarei torcendo pela Peugeot novamente, mas com plena expectativa de ver o trio Kristensen/Capello/McNish levar a vitória outra vez (e não dá para ficar chateado com uma vitória de Kristensen e McNish).

Read Full Post »

Tom Kristensen começou muito bem sua última temporada na DTM

Tom kristensen começou muito bem sua última temporada na DTM

Perdi a prova de abertura da temporada da DTM no autódromo antigamente conhecido como Hockenheim. Contrariando todas as expectativas dos testes de pré-temporada o que se viu foi um massacre da Audi. Os carros da Mercedes pouco puderam fazer e Audi conseguiu os primeiros quatro lugares, que seriam cinco caso o campeão de 2007 Mattias Ekstrom que liderou a prova quase toda não tivesse um pneu furado na penúltima volta. A vitória ficou com Tom Kristensen que anunciara no começo da semana que se despediria da categoria no fim do ano e não ganhava desde 2006. Paul Di Resta foi o melhor do desastre da Mercedes a mais de vinte segundos de Kristensen (e mais de dez segundos atrás do quarto carro da Audi). Ralf Schumacher mesmo com um Mercesdes 2009 não passou do 9º.

1) Tom Kristensen (Audi)
2) Timo Scheider (Audi)
3) Oliver Jarvis (Audi)
4) Markus Winkelhock (Audi)
5) Paul di Resta (Mercedes)
6) Maro Engel (Mercedes)
7) Mattias Ekstrom (Audi)
8) Jamie Green (Mercedes)

Read Full Post »